Comportamento

7 hábitos para abandonar em 2017

segunda-feira, janeiro 02, 2017

Me siga no Instagram (@cami_cassiano) para ver essa e muitas outras fotos legais

Estou escrevendo esse post ao som do carro do gás, de longe está passando um carro com música alta, com as vozes dos vizinhos brincando de sei lá o quê, o barulho da água no lava-rápido que tem aqui em frente de casa, e meus priminhos brincando lá na parte de baixo da casa. E porque comecei dizendo isso? É tempo de abandonar hábitos que nos fazem mal, e reclamar que moro em um lugar barulhento é uma dessas coisas. Afinal, de que adianta reclamar se nenhuma dessas coisas vai mudar? Se estou incomodada, quem tem que mudar sou eu, não é mesmo? Então, que comecemos o post.

1. Reclamar - já contei na introdução do post um pouco sobre este hábito terrível, vamos ver se entendemos. Reclamar de tudo e todos ao nosso redor nos faz ficar presos em coisas que só nos desgastam, que fazem mal, que sufocam, isso traz estresse, estraga nosso humor e reflete em quem nós somos, nas nossas atitudes. As pessoas percebem, e elas se afastam. Inclusive, acrescenta aí em um hábito para se ter nesse novo ano: se afastar de pessoas que só reclamam. Eu sei, que tem pessoas que necessitam de ajuda para pararem de reclamar, mas esse tipo de pessoa só traz negatividade e mau humor para nossa vida, esse comportamento contagia tudo e todos ao nosso redor, as coisas vão deixando de ter cor, os sorrisos vão se fechando, vem dor de cabeça, falta animação. Então, não seja esse tipo de pessoa e não fique perto de quem é assim.

2. Falar mais do que escuta - há uma bela razão pra gente ter 2 ouvidos e uma boca, não é meixmo? Sim, o motivo é para escutar mais e falar menos. Uma das piores companhias é aquela que fala, fala e fala, quando o outro começa a falar ela corta, ela tira conclusões antes do outro terminar de falar, ela se acha a dona da verdade, só o que ela fala importa. Esse tipo de pessoa não tem a mente aberta para aprender, para melhorar como pessoa, ela não está nem aí para o que você pensa ou sente. Não seja essa pessoa e se afaste de quem é assim também. Pois pessoas assim só irritam, te deixam nervosa, e no final, fazem mal.

3. Pré-julgar - 2016 foi um ano bem surpreendente para mim, principalmente no que se trata de preconceito. Comecei a trabalhar em um lugar onde se usa uniforme, então todos se vestiam iguais. Cada pessoa que eu me relacionava lá era completamente diferente do que eu imaginei na primeira vista. Além disso, conheci pessoas com histórias incríveis, que eu nunca imaginei conhecer de perto. Descobri os porquês de cada coisa ter acontecido na vida daquelas pessoas, eram realidades bem diferentes das minhas. Em contrapartida, ouvi muita gente me pré-julgar, pensando que eu era alguém bem diferente do que sou, quando parei para contar a minha história, as coisas que aconteciam na minha vida, acabei surpreendendo muita gente também. Foi uma experiência muito boa que me ensinou a parar de ter preconceitos, de achar que alguém é metido, ou burro, ou bom, ou mal, ou qualquer que seja o adjetivo que a gente sempre pensa antes de conhecer alguém de fato. Cada pessoa é singular, ela vive experiências singulares, tem histórias singulares, elas tem seus motivos para cada atitude que tomam. Isso tudo inclui julgar alguém pela aparência, seja pelas tatuagens, pelo físico, pelo cabelo colorido, pela sexualidade, pela raça ou quaisquer que sejam os motivos. O mundo é enorme, existem bilhões de pessoas aqui, nós não somos robôs, não somos produtos fabricados em série, é importante que existam diferenças entre nós, e o nosso papel como um ser humano diferente de qualquer outro, é respeitar tudo isso, é parar de cuidar da vida alheia, de achar que todos devem pensar, agir, se vestir ou ser iguais à nós. Não! Ninguém tem que ser igual à ninguém e viva a diversidade!

4. Esperar atitudes dos outros - a grande maioria das pessoas tem o hábito terrível de ficar esperando atitudes dos outros. "Ah, mas eu esperava que fulana fosse a primeira a me desejar feliz aniversário", "eu esperava que ciclano fosse dividir seu sorvete comigo", "eu esperava que você fizesse isso ou aquilo por mim". Não. Além de frustrar, te deixar chateada com alguém que não tinha obrigação nenhuma de fazer nada por você, te faz mal e faz mal para suas relações. Deixa as coisas acontecerem, se não acontecer, bola pra frente, faz sozinho, vai atrás. Ninguém te deve nada.

5. Não guardar dinheiro - em 2016 aprendi um pouco sobre guardar dinheiro, esse é um hábito que você deve criar para ontem, se ainda não o tiver. Acontece que a vida é incerta, a gente não sabe como e nem onde estaremos amanhã, semana que vem ou no mês que vem. Hoje você tem tudo, você não passa necessidades, você é feliz. Mas e amanhã? Ter uma grana guardada, além de te prevenir para o futuro, é bom para realização de metas e sonhos. E isso é bom, te impulsiona a crescer, a se mexer, a fazer e acontecer, a sair do lugar, da zona de conforto. Viver zerado/com dinheiro contado te deixa para sempre no mesmo lugar, sem perspectiva, sem esperança de ter uma vida melhor ou de realizar uma coisa que hoje, parece impossível para você. Já pensou se no final do ano você consegue fazer aquela viagem dos sonhos? Se consegue comprar ou trocar de carro? 

6. Não cuidar da saúde - uma das minhas metas desse ano é finalmente assinar um plano de saúde e fazer todo aquele check up geral que eu venho procrastinando há anos, fazer todos os exames necessários, me alimentar melhor, fazer algum exercício regularmente (amo dançar, vou investir na dança), é continuar indo à terapia para cuidar da mente, é cuidar de mim por dentro e por fora para que daqui há uns anos eu não me arrependa de ter deixado a saúde, que é algo importantíssimo, de lado. 

7. Parar de se abrir para todo mundo - eu sempre fui aquele tipo de pessoa que, se deu ousadia eu tô contando todos os meus planos, sonhos e metas. Acontece que nem tudo acontece da forma como a gente quer, e cada vez que algo que eu planejava não dava certo ou que eu mudava de opinião em relação à um sonho/meta que tinha, eu tinha que sair explicando pra meio mundo porquê não ia mais fazer aquilo. É como se eu devesse eternamente satisfação da minha vida pra todo mundo, sabe? Além disso, eu acredito em energia positiva e negativa, e nem sempre a gente sabe realmente com quem está lidando, às vezes a gente conta super empolgada os planos para alguém que joga uma carga pesada e negativa sobre aquilo e no final tudo vai por água baixa. Então é melhor deixar as pessoas vendo tudo dando certo na nossa vida, do que a gente contar e depois ter que explicar porque não deu certo.

Enfim, esses foram os 7 hábitos que eu, você e todo mundo deveria abandonar nesse ano que se inicia. Se tiver alguma coisa para acrescentar, deixa aí nos comentários, ok?
Beijos!

You Might Also Like

1 comentários

  1. Eu sempre fui de me abrir para as pessoas, nunca nada dava certo na minha vida. Contava tudo mesmo, até para as pessoas que conhecia na fila do banco. Quando fui fazer terapia, lá ela me disse para que eu repensasse no que estava fazendo, nem todo mundo quer o seu bem, dai em diante parei de fazer isso e as coisas começaram a acontecer para mim, parece bobeira, mas funciona de verdade!
    Eu amei a tua lista ♥
    Feliz ano novo!

    www.maeeucresci.com

    ResponderExcluir

Não esquece de deixar seu comentário, tá? Ele me anima a escrever mais e mais!

meus posts no seu e-mail

Seguidores no Google+